O homem que Deus procura

Começo o texto que me proponho a compartilhar com vocês com o Salmo 101, verso 6, que diz: “Os meus olhos procurarão os fiéis da terra, para que estejam comigo; o que anda num caminho reto, esse me servirá”.

Tudo que sabemos sobre Deus nos foi revelado por meio de Sua Palavra. Nela encontramos revelações de Sua natureza, incluindo os atributos e a forma como Ele se relaciona com o homem que Ele criou, pois desde o princípio esse foi o desejo de Deus.

No livro Gênesis, encontramos o relato de que Deus descia de Sua habitação para ter um momento de relacionamento pessoal com o homem. Nesse sentido, precisamos entender que Ele se faz presente e almeja se relacionar conosco, participando de todo o nosso viver. Observe que o Salmista também nos recomenda, dizendo: “reconhece o Senhor em todos os seus caminhos”.

Mas, infelizmente, nem todas as pessoas O reconhecem. Até mesmo aqueles que se dizem cristãos se recusam a ouvi-Lo, obedecê-Lo e andar com Ele. Saul, por exemplo, recusou-se a dar ouvidos a Deus e não atentou-se à Sua vontade. Por muitas vezes, o Senhor lhe dava instrução, mas ele decidia fazer tudo a seu modo, pois não amava ao Pai.

A homens como Saul, Deus chamou de obstinados e de dura servis, pois não era tratável, não se submetia às Suas orientações e não o reconhecia como seu Senhor. Assim, em um dado momento, a Bíblia nos diz que Deus o abandonou, e essa mesma expressão encontramos em Romanos 1, quando Paulo diz que os homens que não reconheceram ao Senhor, foram abandonados por Ele.

Nesse sentido, a primeira resposta sobre a indagação: o “homem que Deus procura”, certamente é um homem que reconhece o Seu Senhorio e a Ele se submete. Quando Deus rejeitou a Saul, a Palavra d’Ele para Samuel foi: “Achei a Davi, um homem segundo o meu coração, ele fará tudo conforme a minha vontade”.

Muitas vezes, somos tentados a pensar que, para ser considerados por Deus segundo o Seu coração, temos que ser perfeitos, e isso é um engano. A história de Davi nos mostra exatamente o contrário, pois Davi falhou como pai e rei. Além disso, ele usurpou e matou para obter a mulher de outro. Portanto,  Davi era como você e eu, suscetível às mesmas fraquezas e falhas, no entanto, ele tinha o desejo de agradar o Seu Senhor e não terceirizava as culpas, pelo contrário, ele as assumia, reconhecendo o seu pecado e chamando para si as consequências do mesmo.

Podemos concluir que, para ser um homem que agrada a Deus, é necessário manter um relacionamento pessoal com o Senhor. Nesse contexto, Ele não se atentará para a estatura física, história pregressa ou títulos. Deus está apenas interessado no caráter e na disposição de ouvi-Lo e obedecê-Lo.

Pr. Irismar Queiroz

Graduado em Contabilidade pela UNIP, Teologia pela ETAD. Pastor da Igreja Batista Renascer.

Você também vai gostar de ver

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x