Tempo de avançar!

Todos nós temos algo a superar. Não conheço ninguém que tenha passado a vida sem precisar superar algo – traições, abandonos, abusos, lutos, vícios, feridas de diversos tipos. O fato é que há três anos embarquei no caminho da superação, em que o obstáculo era (e ainda é) o maior que já vivi – o luto de um filho.

Durante esse tempo, encontrei mulheres de diversas idades envolvidas em suas dores. A dor passou a ser uma companhia sempre presente em seus discursos, em sua maioria, muito vitimizados.

Passei a entender que eu precisava de uma “super-ação” para não cair no erro de reproduzir este mesmo comportamento na minha vida. Muitas pessoas desejam se levantar após uma decepção, porém, apenas desejar não é o suficiente, é preciso ir à luta, colocar a fé em prática, e entender que, embora possamos não entender o motivo das coisas acontecerem, Deus não perdeu o controle das nossas vidas, pois Ele nos ama!

No dia em que sepultamos nosso filho primogênito, meu esposo e eu, ainda sem entender o que havia acontecido, chorávamos buscando forças em Deus. Foi então que recebi uma mensagem de uma pessoa que olhou minhas fotos com meus filhos e esposo nas redes sociais. A mensagem dizia assim: “Barbara, você não me conhece, mas quero te dizer que passei horas lendo suas mensagens, e observando a forma como você fala dos seus filhos e o carinho que existe entre vocês. Eu estou grávida e estava decidida a fazer um aborto, mas depois de tudo o que eu li, acabei desistindo. Muito obrigada por isso.”

Aquela mensagem me fez enxergar que Deus tinha um propósito muito maior na minha história. Meu filho não havia morrido por um acaso, Deus usaria a nossa história para curar outras pessoas, para transformar famílias e alcançar corações. E nós permitimos!

Não perguntei ao Senhor o “porquê”, mas “para que”. Sempre pergunto o que Ele quer fazer em mim e através de mim. E assim, eu saí do lugar de vítima e passei a protagonizar uma nova história. Não tenho as alegrias de antes, não tenho a vida de antes. Tenho as alegrias de hoje, vivo o hoje. A saudade me acompanha por onde eu vou. Mas tenho a certeza de que Deus está cuidando de mim e da minha família.

Certas perdas e acontecimentos não são para ser superados no sentido de voltar a ser como antes. É impossível que eu seja como eu era antes do luto. Nesse período aprendi coisas que eu não sabia, tive experiências com Deus que jamais havia tido. E, sobretudo, coloquei em prática o que o Apóstolo Paulo diz em sua carta aos Filipenses, no capítulo 3 versos 13 e 14:  “Uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus”.

Superar é avançar, é recomeçar, é ação, é tirar os olhos das circunstâncias e olhar para o autor e consumador da fé – Jesus!

Portanto, tire o foco da dor e foque n’Ele! Deus te abençoe!

Pra. Bárbara Almeida Melo Calembo

Pra. Bárbara Almeida Melo Calembo

Graduada em Licenciatura Plena em Letras Português/Inglês pela Universidade Estadual de Goiás. Diretora de Mídia na empresa Visalia Propaganda. Diaconisa na IBR Sede. Líder no Ministério de Mulheres. Coordenadora do Curso Mulher Única. Coordenadora dos cursos de Paternidade Bíblica no Ministério de Casais.

Você também vai gostar de ver