Travessias

“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já têm a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos”. (Fernando Pessoa).

Você, mulher, já passou por algum tipo de travessia em sua vida? Sabe lidar com esses processos? Neste texto, quero te contar um pouco sobre a minha travessia. De acordo com o dicionário da Língua Portuguesa, travessia significa: ação de atravessar de lado a lado uma região, um rio, um mar. Por meio da minha história, quero te encorajar a lidar com a sua travessia.

Em 2016, Deus falou comigo que eu passaria por uma travessia, ou seja,  por um caminho que me levaria a uma outra margem. Naquele momento fui conduzida a ler sobre a vida de Noemi no livro de Rute. Neste texto constatei temas como: perdas, luto, dor, dramas familiares, separação e superação. Fui impactada pela história narrada. Aquele foi um ano que ministrei em vários lugares e sempre falava sobre os processos de travessias da vida de Noemi. Mal sabia eu que aquela seria a travessia pela qual passaria.

A vida não nos proporciona somente ganhos, nela há também perdas, e foram elas que  começaram a chegar na minha vida sem aviso prévio. No entanto, como diz a canção de Lorena Chaves,  “tem coisa na vida da gente que só se entende quando o tempo fecha”. Assim, os dias cinzas começaram como nuvens que surgiram no meu céu de brigadeiro.

No final de 2018, recebi uma palavra que foi revelada em Josué 3:4b “…Para que conheçais o caminho pelo qual haveis de ir, visto que, por tal caminho nunca passastes antes”. Fiquei empolgada com essa palavra e pensei comigo: “Uau! Deus vai me conduzir a novos lugares, vou viver o novo. Vou ministrar em lugares que ainda não fui no Brasil”. A mente busca a pensar o conceito de novo como um  céu de brigadeiro e nuvens de algodão doce, mas a verdade é que essa travessia tinha outro nome.

Exatamente há um ano e sete meses atrás, vivi essa travessia, a mais difícil da minha vida, a mais dolorosa até então. Passei por um caminho que nunca havia passado. Depois de 32 anos de casada, meu esposo foi acometido por um câncer e nos deixou. Viver o luto para mim foi como uma amputação sem anestesia, que nos arranca sonhos, (já que sempre imaginei que iríamos envelhecer juntos), que deixa saudade (afinal, em cada data comemorativa há uma lembrança) e que muda radicalmente a nossa rotina, pois são necessários novos reajustes, como: sentar à mesa, fazer as coisas e chegar nos lugares sozinha ou pela primeira vez, se ouvindo dizer qual o seu estado civil: viúva!

Só quem já passou por isso sabe como esse caminho é espinhoso e doloroso, pois mexe com as nossas estruturas emocionais. Mas, diante de tudo que passamos, aprendi muitas coisas e entre elas é o que digo a você leitor: enfrente a vida, pois a graça supre! A graça de Deus, o colo e o amor d’Ele têm sido a força motora para a minha casa.  Mesmo passando pelos vales da sombra da morte, por recomeços do outro lado da margem, estou sendo cuidada e guiada pelas mãos invisíveis de um Deus que ama e que faz tudo cooperar para o bem daqueles que o amam e foram chamados segundo o Seu propósito.

Travessias falam sobre seguir em frente, desenvolvendo  forças para continuar, pois somente com Ele conseguimos fazer as travessias que a vida nos impõe. Meus filhos e eu estamos fazendo jus a esse prosseguir, afinal a graça tem sido um lugar de descanso, esperança e força. Jesus é a nossa força maior! Quando rimos ou choramos, lembramos que a morte não venceu, ela só deu passagem para algo mais sublime, e que é o mais desejável para aqueles que sabem o que lhes aguarda: encontrar com o Rei dos Reis e Senhor dos Senhores!

A eternidade nos aguarda!

Essa foi a minha travessia, e qual tem sido a sua? Que o nosso bondoso Deus possa te revelar o propósito pelo qual você está passando por uma determinada situação. Concentre-se n’Ele e receba o conforto e a direção para passar por todos os processos da sua vida!

Analice de Oliveira Gonçalves

Analice de Oliveira Gonçalves

Terapeuta familiar e pastora no Ministério Conquista Church/ Firminópolis. E-mail: analicerh@hotmail.com / Instagram: @pra.analicegonçalves. (34) 99154-5363

Você também vai gostar de ver