Você conhece Abigail?

Você conhece a história de Abigail na Bíblia? Nesse início de 2021, quero convidar você mulher a refletir sobre a história dessa mulher inspiradora. Vamos lá?

“Quando o Senhor tiver feito a meu senhor todo o bem que prometeu e te tiver nomeado líder sobre Israel, meu senhor, não terá no coração o peso de ter derramado sangue desnecessariamente, nem de ter feito justiça com as tuas próprias mãos. E, quando o Senhor tiver abençoado a ti, lembra-te de tua serva”. (1 Samuel 25: 30-31).

Essas foram as palavras que Abigail falou ao encontrar Davi em um momento crucial de sua vida. Abigail era inteligente, formosa e muito sábia. Ela era esposa de Nabal, um homem rico, morador da região da fronteira de Judá.

Quando Davi e seus homens se refugiavam no deserto de Maom, pela perseguição de Saul, prestaram serviço de segurança sobre as terras e rebanhos dos moradores locais. Nabal foi um dos homens que foi beneficiado por eles, porém quando Davi mandou seus homens falarem com ele sobre a possibilidade de contribuir com o que pudesse, ele foi rude e se negou a ajudá-los. Pior do que isso, Nabal desprezou e humilhou Davi.

Ao saber de tal ofensa, Davi se apressou na companhia de quatrocentos homens rumo a casa de Nabal para se vingar, quando se encontra com uma comitiva pelo caminho. Na frente dela, estavam os servos de Abigail. Ela vinha logo atrás e ao se deparar com Davi, se rende ao chão para saudá-lo com toda delicadeza.

A mulher se humilha e toma para si toda a culpa e insensatez cometida por seu marido. Ela lembra Davi que ele seria ungido rei de Israel, pois essa era a promessa de Deus e todo o povo sabia e se alegrava. Totalmente guiada pelo Espírito Santo, ela lembra o futuro rei, que a vingança pertence ao Senhor, e que este, não deveria se defender com as próprias mãos derramando sangue inocente.

Amadas, nunca procurem vingar-se, mas deixem com Deus a ira, pois assim está escrito: “Minha é a vingança; eu retribuirei”, diz o Senhor em Romanos 12:19.

Abigail então, ofereceu comida de boa qualidade para todos aqueles homens e teve resposta favorável, salvando toda a sua casa, família e bens da destruição iminente. Pela sua graça e sabedoria, ela ainda fez brilhar os olhos de Davi, que disse:

“Bendito seja o Senhor, o Deus de Israel, que hoje a enviou ao meu encontro. Seja você abençoada pelo seu bom senso e por evitar que eu hoje derrame sangue e me vingue com minhas próprias mãos. De outro modo, juro pelo nome do Senhor, o Deus de Israel, que evitou que eu fizesse mal a você, que, se você não tivesse vindo depressa encontrar-me, nem um só do sexo masculino pertencente a Nabal teria sido deixado vivo ao romper do dia”. (1 Samuel 25: 32 a 34).

Abigail reconheceu a liderança que ele já exercia, mas não temeu ao  lembrar um homem de batalhas que seu papel não era cometer injustiça, mas sim ser sábio e obediente ao Senhor.

O que podemos aprender com Abigail? Que uma mulher totalmente posicionada em Deus defende a sua casa, independente do marido que tenha e das lutas que enfrenta. Abigail apresentou-se diante do rei e defendeu o seu lar. Ela não se vitimizou, não perdeu tempo e nem o controle das emoções, pelo contrário, foi pacificadora. Essas atitudes são as marcas de uma mulher temente a Deus, que tem um relacionamento com o Espírito Santo.

Quando Abigail saiu da presença do rei, ela retornou para o seu lar, encontrou o marido bebendo e festejando, mas não ousou contar nada, afinal o momento não era adequado. Talvez se o fizesse, poderia causar muitas mortes. Incendiar o coração de um homem embriagado, com certeza, não era uma opção para Abigail. Ela escolheu falar na hora certa e se calou no momento conveniente. Na manhã seguinte, quando Nabal já não estava mais alcoolizado, ela lhe contou tudo. Ele temeu muito, sofreu um ataque e ficou paralisado como uma pedra. Dez dias depois, o Senhor feriu Nabal e ele morreu.

Quantas mulheres, assim como Abigail conhecem o dilema de estarem em um casamento difícil e desafiador? Com certeza ela suplicou, chorou e orou pela mudança do seu marido. A conduta reprovável dele não alterava a essência dela. Abigail era constante e linear, não se permitiu adoecer, nem ficar amarga. Não desistiu de ser ela mesma, e nem ficou presa nas dores, no sonho do casamento perfeito. Ela não desistiu de Deus, pelo contrário, o Senhor era a força e a sabedoria do seu lar e seus servos a amavam.

Quando Davi soube da morte de Nabal, enviou seus homens para pedi-la em casamento. Seus servos foram e disseram a Abigail: “Davi nos mandou buscá-la para que seja sua mulher”. E ela disse: “Aqui está a sua serva, pronta para servi-los e lavar os pés dos servos de meu senhor”. Assim, Abigail montou num jumento e, acompanhada por suas cinco servas, foi com os mensageiros de Davi. (1 Samuel 25:40-42).

Abigail era rica, mas tinha um coração de serva. A arrogância não fazia parte do adorno de seus cabelos. A humildade era o cinto dos seus vestidos e sua beleza exterior era uma combinação esplêndida da sua identidade em Deus.

Quem era ela? Uma combatente, uma mulher que suportou todas as dificuldades de conviver com alguém que estava longe dela e que, diariamente, tentava ferir o seu coração e roubar a esperança de um futuro. A confiança e a resiliência eram as marcas de alguém que crescia em estatura e graça diante de Deus, ao ponto de atrair o favor de Deus, que é especialista em reescrever histórias e restaurar vidas!

Mulher, o meu desejo é que em 2021 você possa ter o coração e a identidade restaurada de Abigail!

Joyce Smerecki

Joyce Smerecki

http://vinicius

Você também vai gostar de ver