Fui curado do tabagismo

É com muita alegria no coração que venho compartilhar com os leitores da Revista Renascer o meu testemunho.

Há mais de vinte anos pedia à Deus em oração, para me tirar o vício de fumar. Pedia ao Senhor para não deixar nenhuma sequela. Nessa época eu era viúvo e não batizado.

Em 1997, conheci minha atual esposa e com ela tive dois filhos, a Isabela e o Luís Fernando. Eu sabia que o cheiro de cigarro incomodava a minha família e continuava pedindo a Deus que me libertasse desse vício.

Começamos então a frequentar a Igreja Batista Renascer de Goianápolis, que na época era dirigida pelo pastor Morse e pela pastora Gigriolla. Logo em seguida, veio a fatalidade. No dia 8 de dezembro de 2014, por volta das 5:30 da manhã, Deus me acordou com uma dor muito forte no peito. Levantei, tomei água e deitei de novo. Naquele momento, o Espírito Santo falou: “levanta e vai para o hospital”.

Nesse tempo eu trabalhava na área da saúde, era condutor de ambulância, e por isso eu sabia que estava tendo um infarto. Pedi então para a minha esposa ligar para uma ambulância vir me buscar em casa. Chegando no hospital local, a médica pediu à enfermeira que aplicasse 4 ml de morfina. A enfermeira não concordou com a médica e aplicou apenas 2 ml. Comecei a passal mal com grande sudorese. Ouvi quando a médica falou para a recepcionista chamar o SAMU, pois caso contrário eu morreria ali.

Fui levado para o hospital de Anápolis. Tive um dos piores infartos e fui submetido a um cateterismo. Fui para a UTI e depois de três dias tive quer ser submetido a outro cateterismo, só que dessa vez quase noventa por cento das minhas veias estavam entupidas e a solução era colocar uma ponte de safena. Precisava, portanto, de uma cirurgia cardíaca.

Quando o médico veio falar comigo, eu disse a ele que provavelmente eu não conseguiria sair vivo da mesa de cirurgia, pois tinha 42 anos de tabagismo. Porém, eu me esqueci a quem eu havia pedido o milagre.

No dia 27 de janeiro de 2015 fiz a cirurgia. Foram quase sete horas de procedimento cirúrgico. Acordei na UTI, estava bem e sem nenhuma intercorrência. Ainda na UTI, durante a madrugada, acordei e vi do meu lado esquerdo, sentando em uma cadeira, uma pessoa toda de branco. Me lembro que eu estava acordado e perguntei o que ele estava fazendo ali ao meu lado, e ele me respondeu que estava olhando por mim. Logo depois disso fui para a enfermaria e em três dias recebi alta.

Depois de tudo isso nunca mais coloquei um cigarro na boca. O Senhor me curou desse vício maligno. Entendi que Deus faz sempre o melhor em nossa vida.

“Curem os enfermos, ressuscitem os mortos, purifiquem os leprosos, expulsem os demônios. Vocês receberam de graça; deem também de graça”. 
(Mateus 10:8)

Depois do meu milagre, casei na igreja com a minha esposa e fui batizado. Tinha prometido a Deus que faria a minha parte, e hoje trabalho na recepção da igreja com muito orgulho.

Só tenho que agradecer ao Senhor pela misericórdia da graça recebida!

Sérgio Spaulonci

Sérgio Spaulonci

Membro da Igreja Batista Renascer de Goianápolis.

Você também vai gostar de ver