Revista Renascer

paternidade
Capa

Pai: é muito bom ter um

O pai é a figura mais importante na vida dos filhos. O bom pai educa e cuida, dá proteção e segurança, além é claro de ser um bom exemplo de vida. Ser pai é um trabalho de grande responsabilidade. A Bíblia diz que Deus é o nosso Pai, pois Ele é aquele que nos criou e nos deu a vida. Ele nos protege e nos ensina a vencer os obstáculos, mesmo nas dificuldades. Assim como um pai biológico, Ele nos repreende para o nosso bem. Deus é o Pai perfeito, que nos ama. Veja o que diz a Palavra de Deus sobre a paternidade divina:

“Contudo, Senhor, tu és o nosso Pai. Nós somos o barro; tu és o oleiro. Todos nós somos obra das tuas mãos.” (Isaías 64:8).

Ter a pessoa do pai presente é tão importante e necessário como ter a figura da mãe.

Infelizmente há um rótulo em nossa sociedade que diz que o pai é apenas o provedor, que sustenta a família financeiramente, que tem a função exclusiva de apoiar a mãe, jogando a responsabilidade da educação dos filhos sobre ela. Isto está errado.

É comum observarmos entre as mães uma proteção excessiva em duas situações: quando as crianças ainda são bebês, ou ainda quando há um divórcio em que a guarda é da mãe. Nesse último caso, considero mais grave, pois infelizmente há mulheres sem sabedoria que impedem o pai de ter uma boa relação com seus filhos, e isso é muito preocupante!

As mães precisam ser as primeiras a deixar os filhos se aproximarem do pai, principalmente quando ainda são bebês. As mães podem até saber o que o filho necessita apenas com um olhar, mas se o pai tiver a oportunidade de criar laços de afeto com o filho logo no início de sua vida, ou mesmo na gestação, consequentemente ele também saberá qual é a necessidade do filho.

Ver a amizade e o companheirismo crescendo entre pais e filhos é algo inexplicável. Contemplar essa ligação sendo fortalecida, e presenciar a família sendo fortificada com o que há de melhor – o amor – é algo inteligível. Por isso, reafirmo: é muito bom ter um pai!

Alguns estudos revelam que a presença diária do pai pode levar as crianças a terem um bom desempenho escolar e, na adolescência, não se envolverão com problemas de drogas, prostituição, etc. Outra pesquisa diz que a convivência do pai com filho por meio de brincadeiras, leituras e outras atividades lúdicas enriquece o vocabulário das crianças, e as ajuda a aprender a se relacionar e interagir melhor com as pessoas.

As filhas que têm um relacionamento contínuo com o pai estão menos propensas a terem vida sexual ativa, e consequentemente isso impedirá que tenham uma gravidez imatura durante a adolescência ou juventude. Esses estudos só comprovam o que o bom senso já nos diz: pais são importantes para os filhos.

O companheirismo, a afetividade e a presença de um pai não trazem só bons sentimentos para os filhos, mas também para o próprio pai. Um pai é consciente, que mesmo ausente por algumas horas do seu dia, ao chegar em casa, será recebido com o mais puro e sincero amor de uma criança e que, certamente essa ternura se estenderá pelo resto de suas vidas. Isso é muito gratificante!

Acredite: a vida de um homem pode ser dividida em antes e depois dos filhos. Com certeza, depois de ter um filho, esse varão se tornará um filho melhor, um cidadão mais empenhado e um marido incrível. Um homem que tem filhos não mede esforços para que tudo saia da melhor forma para a família. E é dessa forma que os filhos ensinam e transformam a vida de um pai. A paternidade ensina o que é amar de verdade. Além disso, ela tem o poder de transformá-los em pessoas sensíveis aos sentimentos e necessidades dos outros. Resumindo: ser pai é muito bom!

Como pastor, infelizmente tenho convivido com o oposto do que descrevi acima. Vejo centenas de rapazes e moças, completamente sem direção, referência, sustentação ou raiz. Vejo que o problema está na falta do pai, ou da não consideração com a figura paterna. Infelizmente a sociedade não percebe como é importante, essencial e maravilhoso ter um pai presente, pois essa é a figura que podemos contar em todas as horas.

Pai é aquele que diz: “eu vou com você, eu estou com você!”

Pai é aquele que diz: “fique tranquilo, vai dar tudo certo!” Mas, também é aquele que previne, que aconselha e diz quando algo pode dar errado. Um bom pai não dá exemplos, ele é o exemplo.

Cabe aos pais estabelecer o que os filhos se tornarão no futuro. É dever dos pais encaminhar os filhos e cobrar deles para que tudo saia como planejado. São os pais que determinam o futuro de seus filhos! Por isso, não aceite maldições dentro de sua casa, você é autoridade sobre a vida de seu filho!

Ser pai não é um título, ser pai é uma função e uma posição de alto valor.

Talvez você não tenha muita coisa para dar a seus filhos, mas você pode gerar lembranças. Você pode levá-lo e buscá-lo na escola, vê-lo jogar um futebol e muito mais. Tudo isso é muito importante e faz a diferença.

Um bom pai é também um bom marido e um bom cidadão. Por isso, para ser um bom pai é preciso procurar, antes de tudo, ser um bom ser humano. Ser pai é promover o ensino e a educação da fé cristã, mostrando a bondade e o amor de Deus para com o próximo.

Feliz dia dos pais!

Pai: é muito bom ter um

Mais vistos

Fale com os editores:
E-mail: editora@batistarenscer.com


Editado e publicado no Brasil por:
Igreja Batista Renascer.
Telefone: (62) 3202- 4968

2020 - Desenvolvido pelo Depto. de Marketing da Igreja Batista Renascer.

Topo