Cultivando a longanimidade na família

A longanimidade é um fruto do Espírito Santo, citado no livro de Gálatas, capítulo 5, versículo 22. Mas, o que significa longanimidade? Essa palavra significa ser “vagaroso em irar-se”, ou seja, é quando uma pessoa age de forma corajosa, generosa e bondosa, sempre demonstrando paciência, serenidade e misericórdia.

Esse fruto do Espírito é extremamente necessário para construir e manter relacionamentos saudáveis, principalmente familiares, onde somos provados na paciência e no amor diariamente.

Podemos ver e exercer a longanimidade entre família quando somos desaprovados, excluídos, contestados e contrariados. Nesses casos, a vontade comum é de revidar, vingar, “dar o troco” e se afastar, mas a pessoa longânima não age assim, pois ela se coloca no lugar do outro e sempre pensa antes de falar e agir.

Além disso, uma pessoa longânima reconhece o valor das pessoas e leva em consideração o estado emocional do outro na hora do conflito. Assim, ela protege as suas emoções para não permitir que as palavras e ações do outro a contaminem ou atinjam a ponto de influenciar suas atitudes.

Quem tem o fruto da longanimidade é manso, mas, ao contrário do que muitos pensam, não é ser “ingênuo” e aceitar tudo, e sim perceber tudo ao seu redor e escolher agir com prudência e sabedoria, pois sabe que as suas atitudes podem resultar em consequências negativas para a família e para os relacionamentos caso decida agir pelo impulso ou pela emoção. É por esse motivo que agir através da longanimidade exige inteligência emocional e espiritual.

Um outro ponto interessante para se destacar é que qualquer pessoa pode ter esse fruto do espírito, desde uma criança até o idoso. No entanto, para desenvolver a longanimidade é necessário buscar e estar aberto a aprender todos os dias.

Na prática, podemos exercer a longanimidade quando presenciamos injustiças, quando alguém levanta o tom de voz, ou ainda quando alguém disser palavras ofensivas, provocando um estresse familiar, por exemplo. Nesse momento, em fração de segundos, você pode escolher elevar a voz também e continuar a discussão, ou respirar fundo, olhar para a pessoa com o olhar longânimo e decidir se colocar no lugar dela, olhando-a com a “lente” do amor e do perdão. Nessa situação, o autocontrole e o tom de voz mais baixo, ajudam a acalmar a fúria do momento.

Assim, a família que tem como princípio a longanimidade, tem também a harmonia, visto que vivem em paz e são felizes, apesar dos problemas do cotidiano. Por esse motivo, este é um atributo essencial na construção e na manutenção de uma família saudável.

Por isso, peça ao Senhor esse fruto do Espírito Santo e busque ser uma pessoa que age através da longanimidade. Acredite: a sua família será muito mais feliz se você colocar em prática essas ações.

Alline Silva Pimentel Barcellos

Por Alline S. Pimentel Barcellos - CRP09/4806 Psicóloga, Psicoterapeuta, Especialista em Gestão das emoções para mulheres, casais e famílias. Presbítera na Igreja Fonte da Vida Contatos: (62) 9.8516-6842 @allinebarcellospsicologa

Você também vai gostar de ver

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x