Sábados contagiantes e segundas desgastantes

É fato que as segundas-feiras são menos apreciadas que os finais de semana e isso não podemos negar. Além de estar ligada à volta da rotina de trabalho, a segunda-feira geralmente é escolhida para começar a dieta ou a prática de exercícios físicos. E, convenhamos, essas decisões, na maioria das vezes, são tomadas pela necessidade e não por prazer.

O que colabora ainda mais com a implicância à segunda-feira é o aumento da expectativa a respeito do final de semana. Afinal, sábados e domingos são sinônimos de descanso, curtir a vida e diversão.

Eu já andei na contramão desse dilema quando vivi uma fase em que esperava ansiosamente pelas segundas-feiras. Na época meus filhos eram pequenos e eu não conseguia lidar muito bem com os sacrifícios inerentes à maternidade que, muitas vezes,  não é valorizado. Eu me sentia mais realizada no ambiente de trabalho.

De repente, a vida mudou. Atualmente, moro num país estrangeiro, meu diploma está guardado numa gaveta, meus filhos estão crescidos, inclusive, a mais velha já está casada e eu sou uma dona de casa que já não anseia mais pelas segundas-feiras. Entretanto, confesso que me pego sonhando com o dia em que a minha casa estará cheia de crianças novamente, dessa vez, com os meus netos.

As diversas mudanças, geográficas e pessoais, que vivi na última década me ensinaram que a arte de viver bem é entender que a vida é uma metamorfose constante, e com isso, precisamos aprender a valorizar o ordinário e extrair o melhor de cada fase.

Num certo dia, Jesus falava às multidões sobre os perigos da ansiedade. O objetivo de sua mensagem era ensiná-las a viver uma vida de fé e confiança em Deus. Todavia, o que me deixou maravilhada foi a maneira como Jesus os levou a essa reflexão através da contemplação da natureza ao dizer: “observem os pássaros no céu, observem os lírios do campo e como são bem cuidados pelo Pai Celestial. ” Portanto, aquiete o coração!

Em outras palavras podemos dizer: olhe ao seu redor e contemple as maravilhas da criação de Deus. Admire o azul do céu, o verde das árvores e sinta o perfume das rosas. Valorize as pessoas que fazem parte da sua vida. Dê muitos abraços apertados em quem você ama. Curta os momentos em família. Aprecie o cheiro de bolo no forno que se espalha pela casa e aproveite para tomar aquele delicioso cafezinho no final da tarde.

A prática diária do exercício da gratidão não permitirá que a ansiedade pelo que ainda não vivemos, roube de nós a oportunidade de desfrutar o dia de hoje, que não por um acaso se chama presente, e nos é dado por Deus a cada manhã.

E assim perceberemos que cada dia é importante, seja ele segunda, terça, sábado ou domingo.

Débora Krüger

Filha de Deus, serva de Jesus Cristo, esposa e mãe. Pós-graduanda em Teologia Sistemática. Idealizadora do discipulado bíblico online e interdenominacional “Mulheres Profundas”.

Você também vai gostar de ver

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x