Revista Renascer

Entrevistas

A importância do acompanhamento familiar no desenvolvimento pedagógico das crianças

Dra Cleo - pedagógico

Dra. Cleudineia Borges Ferreira é Graduada em Psicologia Clínica, Pós-Graduada em: Psicologia Escolar, Avaliação Neuropsicológica da criança e do adolescente e Psicopedagogia. Trabalha há 15 anos na Educação e há 2 anos no Instituto Batista Renascer.

Na entrevista a seguir, Dra. Cleo, como é conhecida, fala sobre a relevância da família como sendo a base da formação e construção do ser na sociedade. Ela analisa e reflete sobre a formação familiar atualmente, e ainda destaca a importância do acompanhamento dos pais para o bom desenvolvimento pedagógico das crianças:

A escola faz parte do cotidiano familiar da criança e dos pais. De que forma a família pode estar envolvida no processo de aprendizagem dos filhos?

A família é o primeiro lugar de aprendizagem da criança, tudo começa no contexto familiar.  Quando os pais participam ativamente da vida de seus filhos e se engajam, inclusive, no cotidiano escolar da criança, a tendência é que os alunos se dediquem e se esforcem mais, além de se sentirem amados e apoiados. Os pais que procuram saber sobre a relação do filho(a) com os professores, comportamento em sala de aula, notas e dificuldades nas matérias, normalmente estão dispostos a ajudar o professor a vencer os desafios em sala de aula, adotando medidas complementares em casa. Isso, inevitavelmente, promove uma visível melhora na performance do aluno.  Por isso é extremamente importante participar e conhecer o modelo pedagógico adotado pela escola, e aliados a isso, os pais terão condições de preparar seus filhos para se adaptar a esse novo contexto.

Nos primeiros anos da Educação Infantil tem-se um período de adaptação da criança ao novo ambiente escolar. Como a família pode contribuir para que essa adaptação seja rápida e positiva, pedagogicamente?

A adaptação da criança na escola é um processo gradativo, o qual é vivenciado diferentemente por cada criança.  É um período permeado de emoções diversas, como: medo, ansiedade, insegurança, dentre outros.

Quando a criança vai para a escola, especialmente na primeira fase escolar, é um momento difícil para a família.  Em sua maioria, os pais sentem-se ansiosos e divididos entre a perspectiva de verem os seus filhos conquistando novos espaços, ao mesmo tempo que terão de deixá-los sair do ambiente familiar. Não é rara as vezes em que presenciamos pais que sentem-se ameaçados de perder o amor de seus filhos, ou ter que dividi-los com outros.

O que percebe-se é que, na maioria das vezes, os pais sofrem mais do que as crianças nesse processo de adaptação, pois é um processo de deixar ir e de crescer. Nesse processo, os pais devem conscientizar-se sobre a importância do seu papel no momento de adaptação. A forma com que a família encara o ambiente e as ações escolares, será a resposta que a criança dará a esse período de adaptação, e tudo isso dependerá da ação conjunta entre a família e a escola.

foto-02Ações como: encarar a entrada da criança na escola como uma etapa natural da vida, para evitar de suscitar expectativas excessivas em torno do fato (ou colocar a escola como o “bicho papão”); conversar com a criança sobre outras crianças do seu convívio, que já estejam indo à escola; falar da escola para a criança como um lugar interessante, com coisas boas para fazer, brincar, amigos para conhecer; demonstrar para a criança total segurança em relação ao ambiente escolar. Ter paciência, persistência e segurança… Tudo isso ajudará no processo de adaptação.

Enfim, o papel dos pais, é antes de tudo, transmitir segurança e apoio com paciência nesse momento, procurando reagir o mais calmo e seguro possível diante dos comportamentos que, inevitavelmente, podem surgir, como: choro, vômito, mordidas, dentre outros.

untitled-5

Dra. Cleodineia Borges Ferreira.

Quais são os principais problemas enfrentados pelas crianças que não são acompanhadas em casa

A ausência da participação da família no ensino aprendizagem dos alunos, podem influenciar no baixo desempenho e no mau comportamento dos alunos.   O fato é que os efeitos dessa falta de acompanhamento surgem no dia-a-dia, e são apresentados no desenvolvimento das atividades.

A criança que não tem acompanhamento, além de ter rendimento escolar baixo, não será motivada para a realização das atividades formais. A aprendizagem e o crescimento saudável da criança não se faz sem a presença da família. A família é a responsável em fornecer suporte para a construção da aprendizagem, pois só assim, teremos crianças com uma autoestima equilibrada, uma autoconfiança elevada, uma afetividade saudável e um padrão emocional que permite ela aprender. Do contrário, quando não há esse acompanhamento em casa, a criança chega na escola com essas e outras falhas. Quando os pais não valorizam a escola, os alunos tendem a não valorizarem também. A família precisa demonstrar respeito e consideração pelo ato de aprender, que não se limita a ler e escrever. Mas para isso, precisa mostrar com suas atitudes o devido valor, estando presente na vida escolar dos filhos.

A família que não se responsabiliza em acompanhar os seus filhos, geralmente são famílias que não conseguem compreender o reflexo disso na vida da criança, comprometendo até mesmo o futuro adulto e cidadão que se tornará. Quando há acompanhamento em casa, os problemas são facilmente detectados e resolvidos.

De que forma esses problemas podem afetar a vida adulta da criança?

Os transtornos psíquicos em adultos, são, em sua maioria, a base da não oportunidade de crescimento emocional durante a infância.

Se não é ensinado às crianças a lidar com a frustação, certamente teremos adultos que atropelam os outros e a realidade, para impor a sua vontade e que não aceitam serem contrariados.

Quando a criança resiste e foge das dificuldade e responsabilidades que aparecem, com certeza teremos um adulto que responderá da mesma maneira em suas escolhas e desafios. Por isso é importante proporcionar a criança momentos de crescimento afetivos, emocionais e psicológicos. Se não há a preocupação dos pais em promover esse crescimento desde cedo, teremos um adulto infantilizado e com grandes problemas.

Quais são as características das crianças que têm um bom acompanhamento familiar?

O acompanhamento dos pais pode influenciar não só o desempenho acadêmico, relacionado ao boletim, mas o desempenho escolar como um todo, que envolve o comportamento do aluno na escola. “O bom aluno” tem algumas posturas em relação a sua educação, como: capacidade de concentração, disciplina e perseverança. É perceptível que o rendimento da criança que tem acompanhamento em casa é sempre mais positivo, pois são crianças que se mostram mais ativas, alegres, seguras e ainda, enfrentam as dificuldades de uma maneira assertiva. Vemos que o acompanhamento em casa, faz com que a criança dê valor na aprendizagem formal, e essas ações são notadas e valorizadas pelo professor, pois o educador irá perceber que a atividade escolar é levada a sério. Assim, as crianças que são acompanhadas pela família são comprometidas com o aprender e com o saber.

Qual é a função dos educadores no processo de desenvolvimento pedagógico das crianças?

O professor, no que se refere ao crescimento pedagógico, tem a função de desenvolver o aspecto cognitivo e científico com os alunos, além é claro de estabelecer um bom vínculo com o seus educandos. Estudos mostram que quando a criança tem um relacionamento favorável com o professor, o processo de aprendizagem se faz de forma mais eficiente e completa. Dessa forma, o bom educador, desenvolve a aprendizagem formal, estabelece vínculos de relacionamento e ainda, busca conhecer a individualidade de cada aluno. Conhecer as características e as especificidades de cada aluno, é um recurso que o bom educador tem para exercer o seu papel, e tenha positivos resultados, pois dessa forma, ele verá as dificuldade e as potencialidades do educando, e trabalhará com o foco para desenvolver a criança nesses aspectos.

Quais são as principais dificuldades enfrentadas pelos professores da Educação Infantil em relação a família e a escola?

A falta dos pais em assumir os seus papeis, tem sido o principal desafio da escola nos dias de hoje. A escola tem uma parcela importante de responsabilidade na educação da criança. É lá que acontece toda a Educação formal das crianças e adolescentes. Mas, é importante dizer que ela não substitui o papel da família. É papel dos pais, preparar a criança para o mundo. Por isso, é crucial que a família dê o exemplo, mostre o que é certo, o que é errado e dê direção a eles.

Infelizmente não é isso que vem acontecendo. Essa falha da família tem refletido negativamente na escola, gerando grande frustração nos educadores em relação ao processo de aprendizagem.

Os pais estão transferido para a escola um papel que não cabe a ela. Então, o professor tem que ser educador, pai, orientador, psicólogo, médico, etc. Isso está errado! O questionamento que fazemos diante dessa situação é: o professor, enquanto ser humano, está pronto para um desafio tão grandioso? Por mais que ele seja experiente e tenha uma formação contínua, a sobrecarga ao assumir papeis que não são seus, faz com que o professor tenha um sofrimento e uma sensação frustrante em relação ao cumprimento do seu trabalho na escola.  Quando a família assume o seu papel, com certeza o professor terá mais facilidade em desenvolver o seu trabalho na escola.

Qual a importância da igreja nesse processo de conscientização da família?

A igreja fornece recursos aos pais para que eles possam, verdadeiramente, assumir os seu papeis de pais. A igreja dá todo suporte a família cristã, e esse auxílio ajuda inclusive a escola a desenvolver melhor a sua função.

Qual é o papel da escola cristã em nossa sociedade?

A escola cristã tem, acima de tudo, uma missão: não negligenciar o conhecimento formal e pedagógico, e paralelamente, trabalhar valores e princípios cristãos, de forma que esses ensinamentos façam parte da vida da criança de maneira natural. Valores como: aprender a respeitar, honrar e semear na vida das pessoas, dentre outros, ajudarão no crescimento da criança enquanto pessoa, e isso fará a diferença, inclusive em sua vida adulta, dando a oportunidade de ser, inclusive, um cidadão diferente.

Deixe uma mensfoto-01agem para todos os pais que buscam um bom desenvolvimento pedagógico para os seus filhos.

Educar e acompanhar os filhos no mundo em que vivemos é um grande desafio. A cultura, as necessidades, a correria do dia-a-dia, pais e mães que trabalham o dia todo, dentre outros compromissos, faz com que essa tarefa seja, aparentemente, impossível de se realizar. O que a família tem que entender é que quando se fez a opção de ser pai e mãe, significa que terá que ter o compromisso não só em criar, mas também em estar atento ao desenvolvimento geral da criança, incluindo aspectos pedagógicos. Os pais precisam se organizar, ter um tempo para acompanhar o seu filho.

A vida do seu filho e o seu desenvolvimento pedagógico necessita de investimento de tempo de qualidade. A família é a base para que a criança tenha um saudável desenvolvimento, emocional, psicológico e pedagógico.

Dessa forma, procure estabelecer uma relação de educação de amor, companheirismo e de acompanhamento. Não adianta só amar, cuidar, ser companheiro e amigo, a família precisa acompanhar os seus filhos. A Bíblia diz que devemos ensinar a criança o caminho, então os pais precisam mostrar o caminho certo e direcionar.  O que é importante para a criação dos filhos é o que eles veem os pais fazendo e não o que é dito para ser feito. Os pais são o exemplo. Com esses cuidados, teremos crianças que farão a diferença em nosso meio e em nossa nação.

Não negligencie os seus filhos hoje, porque você poderá se arrepender amanhã!

Mais vistos

Fale com os editores:
E-mail: editora@batistarenscer.com


Editado e publicado no Brasil por:
Igreja Batista Renascer.
Telefone: (62) 3202- 4968

2020 - Desenvolvido pelo Depto. de Marketing da Igreja Batista Renascer.

Topo