Amadurecimento emocional para homens

Nesta edição quero compartilhar com os homens sobre amadurecimento emocional, um assunto que traz grandes reflexões e que pode mudar vidas! Para falar de maturidade emocional é necessário também tocar em três pontos muito importantes, são eles: identidade, senso de responsabilidade e autoconhecimento. Vamos lá?

  1. Identidade: falando sobre identidade ao longo da minha jornada, vejo que os homens desta geração, não todos, mas uma parte considerável, possuem algum tipo de dificuldade quanto à sua identidade. Observe que a Palavra de Deus nos mostra o Seu alvo em nossa vida como maturidade cristã. À medida que somos provados, precisamos pedir a Deus para nos mostrar o que Ele está fazendo. “Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida.” (Tiago 1:5 NVI).

Diariamente, o Senhor  nos leva a  desapegar-nos das atitudes infantis. O problema é que quando somos imaturos emocionalmente, toda dificuldade sempre irá nos deixar em situação de vulnerabilidade e com isso, as nossas forças são drenadas, devido à ansiedade e o despreparo da nossa mente.

Deus trabalhou 25 anos na vida de Abraão antes de lhe dar o filho da promessa. Trabalhou 13 anos na vida de José antes de colocá-lo no governo, 80 anos na vida de Moisés, antes de usá-lo como líder do Seu povo. Jesus trabalhou por três  anos na vida dos apóstolos antes de enviá-los ao mundo.

Com isso, aprendemos que há um processo na construção da verdadeira identidade em Cristo, e a sua falta  nos leva a desempenhar atitudes infantis diante dos obstáculos da vida, e o que devemos fazer é nos aproximarmos de Cristo, orando com intensidade, lendo a Bíblia, pedindo a Sua revelação e  sabedoria e buscando uma pessoa mais experiente que admiramos e que possa nos mentorear.

Um homem com a sua identidade bem definida sabe quem é e conhece o seu propósito na  vida. Além disso, ele tem o conhecimento de suas qualidades, mas também entende em quais pontos deve melhorar e ainda quais são as suas limitações. Com sabedoria, o homem com a sua identidade restaurada,  possui a condição de tratar cada ponto que necessita de melhora, com bom senso e eficácia.

  1. Senso de responsabilidade: no contexto da família, o homem deve ter maturidade em Deus, para que seja capaz de guiar a sua família nos caminhos do Senhor. Sendo assim, um homem cristão deve atentar-se a:
  • Dar provisão para a sua família (seja casado ou não);
  • Proteger e apoiar as pessoas que estão sob  seu cuidado;
  • Amar a sua esposa como Jesus ama a Sua igreja;
  • Criar os seus filhos ajudando no seu desenvolvimento físico, intelectual e espiritual;
  • Viver com integridade, dando o seu melhor em tudo o que fizer.

Existem dezenas de versículos que falam sobre o papel do homem perante a sua família, por exemplo:

“Se alguém não cuida de seus parentes, e especialmente dos de sua própria família, negou a fé e é pior que um descrente.” (1 Timóteo 5:8).

O conceito machista diz que ser homem é colocar dinheiro em casa e ponto final, mas o conceito de Deus nos diz que o homem precisa dar provisão, proteger, apoiar, amar a sua esposa, criar os seus filhos, viver com integridade e principalmente exercer o seu papel de sacerdote no seu lar, estabelecendo assim, uma cultura de oração e leitura da Palavra de Deus.

Um homem desequilibrado, gera um desequilíbrio não somente em sua vida, mas na de todos que ele exerce alguma posição de governo, sendo assim, ele reproduz aquilo que a Palavra de Deus descreve de maneira exata:  “Aquele que duvida é semelhante à onda do mar, levada e agitada pelo vento. Não pense tal pessoa que receberá coisa alguma do Senhor, pois tem mente dividida e é instável em tudo o que faz.” (Tiago 1:6-8 NVI).

O senso de responsabilidade te faz entender quais são seus papeis e obrigações em sua jornada pessoal. Com isso, você não será responsável por gerar uma carga excessiva na vida das pessoas que caminham com você. O homem que conhece o seu propósito e vive com base nele, jamais ficará perdido ou será inconstante, pois a sua bússola e o seu mapa será a presença de Deus dentro dele. O senso de responsabilidade devolve o espírito vigilante e o sacerdócio do homem, construindo ao longo da sua vida, um comportamento de integridade e honra.

  1. Autoconhecimento: lidar com as pressões da vida moderna e suas exigências, tem levado muitos homens à uma crise existencial e espiritual. Vivemos numa sociedade em constantes mudanças, onde as expectativas mudam a cada instante e a competição impera na sociedade, levando muitos a depressão e ao desânimo.

Como homens cristãos, não estamos isolados deste contexto. Precisamos nos voltar para a Palavra de Deus e reforçar os nossos princípios para que não sejamos tragados pelas filosofias deste mundo, perdendo a nossa identidade e compromisso com Deus.

Temos que entender o propósito do Senhor para a nossa vida e colocar em prática os dons recebidos d’Ele. Precisamos compreender que a nossa missão é colocar a vontade de Deus acima de tudo e que isso é o que nos faz realizados nesse mundo.

O autoconhecimento irá nos ajudar a blindar a nossa  mente e o nosso  coração das escolhas erradas. Essa é a diferença de quem reconhece as situações da vida, não como barreiras, mas sim como oportunidades de crescimento e amadurecimento. Isso não significa que as vitórias serão fáceis, mas nos garante que teremos toda capacidade e condição dada por Deus para nos superarmos  diariamente.

Finalizo citando uma frase do grande teólogo C.H. Spurgeon “Na juventude aprendemos, na maturidade compreendemos.” Que O Senhor cresça em nós a cada dia. Que você, homem de Deus, compreenda a responsabilidade que o Senhor colocou sobre você, assim como o seu papel social, moral e ministerial. Que Ele te capacite nessa jornada!

Pedro Thiago Araújo Freitas

Pedro Thiago Araújo Freitas

Administrador Financeiro; Professor de Taekwondo. Presbítero da IBR Sede. Coordenador da escola bíblica Unidos. Co-líder do ministério Unidos pelo Casamento. Criador e Líder do Projeto Social Reação - Inclusão através do esporte.

Você também vai gostar de ver