Educação e cristianismo: educar para crescer

Falar de educação hoje, em uma sociedade que muda com velocidade, é um grande desafio. Temos que ter coragem (tendo o entendimento de que coragem não é ausência de medo, mas a capacidade de enfrentar o medo) para encarar que, atualmente, há um “movimento novo”, de imposição e até mesmo alienação, e que nós temos que lidar com ele com bastante sabedoria. É nesse momento que entra a importância do cristianismo, ou melhor, da educação cristã em uma sociedade desnorteada e que prega um “cristianismo raso”.

A primeira coisa que precisamos ter em mente é que não existe educação neutra, sempre existirá uma ideologia por trás da educação, portanto não existem apenas dois modelos de educação: secular x cristã. A ideologia que permeia a educação não é necessariamente política, é também religiosa, ou seja, sempre será utilizada uma “cosmovisão” (visão de mundo) que influenciará naquilo que é ensinado.

“A educação cristã… consiste em ensinar tudo, de ciências e matemática, a literatura e artes, dentro da estrutura de uma visão bíblica e integrada de mundo. Significa ensinar os estudantes a relacionarem todas as disciplinas à verdade de Deus e sua autorrevelação nas Escrituras, enquanto detectam e criticam as afirmativas da visão de mundo não bíblica.” (Colson & Piercey, E Agora Como Viveremos?)

Portanto, podemos afirmar que educação cristã é aquela que ensina os conteúdos sob uma perspectiva Bíblica. Uma esbanner-materiacola cristã não é aquela que faz um culto durante a semana, ou uma oração antes da aula, é muito mais que isso. É aquela que trabalha princípios e valores acerca da Palavra de Deus a todo momento.

Não podemos ter uma visão reducionista e acharmos que a Bíblia é aplicável somente dentro das igrejas, que quando a Bíblia trata de educação se refere apenas em EBD (Escola Bíblica Dominical). Isso não é verdade! Veja o que diz a Palavra de Deus.

“Estes, pois [repetição dos dez mandamentos], são os mandamentos, os estatutos e os juízos que mandou o Senhor, teu Deus, se te ensinassem, para que os cumprisses na terra a que passas a possuir; para que temas ao Senhor, teu Deus, e guardes todos os seus estatutos e mandamentos que eu te ordeno, tu, e teu filho, e o filho de teu filho, todos os dias da tua vida; e que teus dias sejam prolongados. Ouve, pois, ó Israel, e atenta em os cumprires, para que bem te suceda, e muito te multipliqueis na terra que emana leite e mel, como te disse o Senhor, Deus de teus pais. […] Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te.” (Deuteronômio 6:1-3, 6-7).

Ao analisarmos esse texto, vemos que a ordem do ensino vem de Deus, e que o ensino tem um propósito dado por Deus; e o próprio Deus concede a autoridade do ensino aos pais. O Senhor também concede dons de ensino, escolhe pessoas e as equipa de forma específica para ensinarem. Dessa forma, podemos afirmar que a escola cristã é uma auxiliadora para a família.

Uma escola cristã também tem responsabilidade com um ensino transformador e, ao mesmo tempo, com a excelência. Sabendo disso, o maior objetivo da educação é o aprendizado, e por isso, a escola hoje deve nortear o seu trabalho usando a “CHAVE” da sabedoria para desenvolver em seus alunos: Conhecimento, Habilidades, Atitudes, Valores e Emoções, pautados sempre, é claro, nos princípios cristãos.

dsc_0015
Renata Gonçalves Silva Miranda – Pedagoga, Especialista em: Gestão Escolar, Psicopedagogia Clínica e Institucional e Educação Infantil

Os professores de escolas cristãs são vocacionados, ou seja, são chamados para a missão de educar para transformar vidas por meio do conhecimento científico e da Palavra de Deus.  Os educadores, tornam-se exemplos e são responsáveis por construir junto aos estudantes, um conhecimento que norteará toda a sua vida.

Mas, tudo isso só é possível com um trabalho de parceria: escola x família. A escola nunca substituirá o papel dos pais e vice-versa. Portanto, cada um deve ter em mente, de forma clara, qual a sua função na formação de uma criança.

O presente-futuro da criança depende do quanto os pais estão dispostos a investir, a orientar, a amar, a disciplinar e a estarem presentes em sua vida, seja a vida escolar ou também em outros momentos. Ou seja, é preciso que os pais tenham compromisso, responsabilidade, autoridade, respeito e diálogo para plantar a mesma espécie de semente em um solo fértil, que é a criança.

Precisamos ter a consciência de que igreja, escola e família são grandes aliadas para orientar, ensinar e educar a criança no caminho que deve andar, para mais tarde não se desviar dele. (Provérbios 22:6)

Já dizia Nelson Mandela: “As crianças de hoje são os líderes de amanhã, e a educação é uma arma muito importante para prepará-las para os seus futuros papéis, como líderes da comunidade.”

Por que não reconhecer que as crianças podem se tornar grandes líderes e fazer a diferença na sociedade em busca de um mundo melhor?

Acreditemos nelas!

Renata Gonçalves Silva Miranda

Renata Gonçalves Silva Miranda

Pedagoga, Especialista em: Gestão Escolar, Psicopedagogia Clínica e Institucional e Educação Infantil, Diretora Pedagógica do Instituto Batista Renascer e Professora da Rede Municipal de Educação.

Você também vai gostar de ver