Revista Renascer

mulheres empreendedoras
Entrevistas

Mulheres empreendedoras com propósito

Muito se fala sobre empreendedorismo, e muito mais sobre empreendedorismo feminino. Mas, o que poucos falam é sobre o que há por trás da ideia da marca. Nesta edição, em comemoração ao dia internacional da mulher, a Revista Renascer entrevistou três mulheres empreendedoras, com marcas próprias e cheias de propósito para inspirar. Confira:

Meu nome é Mila Sarges, sou dona da Amoeto Semi Joias.  Tenho 15 anos de convertida e de casamento. A empresa existe há 6 anos, foi um presente de Deus para a minha vida e desde então eu tenho vivido coisas lindas através dela. Amo trabalhar com semi joias, pois com esse empreendimento tenho o poder de deixar as mulheres ainda mais lindas. 

Me chamo Vanessa Leão, tenho 29 anos, sou casada e estou grávida. Me formei em música, assim como o meu marido. Sou professora de música e já trabalhei em escolas, mas hoje ministro aulas particulares e aulas em igrejas. Eu e meu esposo iniciamos uma empresa de filmagem, e hoje fazemos muitos clipes, inclusive os meus. Hoje eu sei que o meu propósito é levar a palavra de Deus através da minha música.  

Me chamo Aurea Lima, sou psicóloga e trabalho na área de desenvolvimento humano. Tenho uma consultoria e uma escola de empreendedorismo feminino. Minha grande missão hoje é apoiar mulheres, para que elas se encontrem nessa área do empreendedorismo. 

Três mulheres, três ramos diferentes, contudo três propósitos que se ligam.

Mila Sarges, proprietária da Amoeto Semi Joias:

Qual o propósito da sua marca? Como ela se iniciou? 

A Amoeto surgiu de uma necessidade financeira. Após isso, eu enxerguei o poder que eu tinha em mãos, que era emponderar as mulheres. Assim, eu entendi o propósito de Deus, para a minha vida, que era levar a Palavra de Deus para muitas mulheres através dos meus produtos. Já vendi semi joias para mulheres que apanhavam dos maridos, e que estavam desacreditadas, e então, mostrei o valor e a beleza real delas. Esse é o propósito da Amoeto!

Atualmente, o empreendedorismo feminino fala muito sobre não ser mais uma marca, de ter um propósito e se permitir ser usada por Deus para fazer a diferença. Você vive isso com a sua marca?

Sim, ganhar dinheiro com a Amoeto hoje é consequência de um propósito maior. Tenho o intuito de levar Jesus para as mulheres. Onde tem um evento, ou até mesmo na loja, falo de Jesus. Quero mostrar que uma empresa não precisa existir apenas para ganhar dinheiro, pois ele vem em consequência de um coração disposto a servir, e isso faz toda a diferença. Ter um propósito faz toda a diferença em seu empreendimento.

O que você pode falar para mulheres e homens que querem iniciar um empreendimento?

A primeira coisa é buscar Jesus. Eu não faço nada sem buscar uma direção de Deus. Se eu faço uma compra eu oro antes, se eu vou vender, eu oro para que a venda me abençoe, mas abençoe também quem está comprando. Creio que estar com Deus, ouvir Ele, isso é o principal. Falo que podemos começar de forma simples, iniciar do pouco. Iniciei a Amoeto com apenas R$3 mil reais, e hoje ela tem até loja online. Eu não estou apenas trabalhando, eu estou ali para mostrar a essência de Deus.

Um recado para os leitores da Revista Renascer

Meu recado para os leitores da Revista Renascer é que não desistam de empreender. Eu já tive outros negócios que não deram certo, porque eu não entendia o propósito. Então, primeiro, volte o seu coração para Jesus e depois descubra o propósito do seu empreendimento. Falo isso, porque sei que se as nossas intenções estão ligadas com as de Deus, com certeza o seu negócio tende a crescer. Iniciei o ano de 2020 pedindo para Deus me notar, para que eu pudesse fazer ainda mais a diferença, sendo espelho para outras pessoas. Uma marca e uma vida com propósito, não tem como dar errado!

 

 Vanessa Leão, musicista e empreendedora:  

 Você tem um Ministério de Louvor?  

Sim, eu canto desde pequena, e sempre senti que queria levar a Palavra de Deus através da arte. Já fui bailarina, dancei no Rhema, fiz evangelismo com eles, mas decidi que queria ficar apenas na música. Eu componho desde os 13 anos, e queria que as pessoas escutassem essas músicas. Então, eu comecei o processo. Aos 18 eu comecei a ministrar em igrejas, e em 2015 eu gravei meu primeiro CD que se chama “Acima de Tudo”, com todas as músicas autorais e que está em todas as plataformas digitais. Agora, estou gravando outra música, com o tema “Pai bondoso”.

Como você encaixa o seu propósito de vida com tudo isso que você está fazendo?  

Há um ano e meio eu estava em crise, pois eu amo ser professora, mas sentia que o meu propósito era o de ministrar louvor. Quando eu estava buscando entender tudo isso, eu encontrei algumas pessoas que me ajudaram com o autoconhecimento. Eu tinha medo de agir, e ficar sem a segurança de um emprego. Porém, eu entendi que precisava ir, pois era o meu propósito. Deixei de dar aula em um colégio e comecei a seguir o meu propósito através do meu louvor. Hoje eu entendo que tudo estava ligado, o propósito de dar aula e o de ministrar louvor.

Qual recado você gostaria de passar para o Leitores da Revista Renascer?

Eu quero falar para vocês sonharem, mas não apenas em benefício próprio, porque sempre que Deus nos dá algo, não é apenas para o nosso benefício. Deus é Deus de comunidade. Eu entendi que não era apenas o meu sonho de ser cantora, era o sonho d’Ele em me possibilitar ministrar para pessoas que apenas eu, com a minha linguagem, como o meu jeito de ser, poderia alcançar. Então, o meu recado é para que você almeje os sonhos d’Ele para você!

Aurea Lima, psicóloga, consultora em desenvolvimento humano e proprietária de uma escola de empreendedorismo feminino:

Empoderar mulheres e fazê-las pensar mais alto, é o propósito de Deus para a sua vida?

Sim. Assim como vemos em provérbios 31, vemos que a mulher era virtuosa e também empreendedora. Se ela quiser optar por ser dona de casa, ficar em casa, é uma escolha dela, que inclusive é muito válida. Mas se ela quiser empreender, abrir algo, ela pode também. No Estado de Goiás, 58% das empresas são gerenciadas por uma mulher. Porém, o sucesso maior está nas empresas masculinas, pois a mulher precisa se dividir, cuidar da casa, da empresa e de todo o resto. A metodologia da minha empresa é para que a mulher veja leveza em tudo e que também construa uma rede de apoio.

A sua escola de empreendedoras aconselha desde a criação do negócio até o seu funcionamento?

Sim, nós temos cursos e mentorias. Por exemplo, se a pessoa quiser montar uma doceria, nós ajudamos a entender se isso faz parte do propósito dela, se o projeto está de acordo e quais os recursos ela precisará até a entrega do produto ou serviço que ela venderá. O sonho precisa ser concreto!

Há um propósito por trás de tudo isso?

Eu e a minha sócia falamos muito sobre o nosso propósito. Eu já fui executiva de grandes multinacionais, mas chegou um momento em que Deus me incomodou. Faltava algo. Então eu comecei a entender isso. Propósito é bíblico, e temos que tomar isso para nós, pois funciona como uma metodologia, que nos ajuda a não errar. Usamos nossos dons e talentos e unimos ao propósito. Nossos pontos de partida são o autoconhecimento e o propósito. Acreditamos que o propósito não é único para o resto da vida. Às vezes o propósito de uma mulher é ser mãe, e pronto, mas às vezes é ser mãe e trabalhar fora. Propósito é aquilo que você não abre mão, é aquilo que faz parte de você.

Conte-nos sobre o seu projeto: “Recolocação na prática”

Eu tenho dois projetos: a escola de Empreendedorismo e o Recolocação na Prática. Nesse último, estou criando um curso para ensinar as pessoas a voltar para o mercado, como fazer um currículo, como se portar em uma entrevista. Meu papel é ajudá-los. Quando uma pessoa perde um trabalho, ela não perde apenas a renda, ela perde a autoestima, e às vezes até a identidade.

Três mulheres, três ramos diferentes, contudo três propósitos que se ligam. Muito além de mais uma marca no mercado, o grande diferencial é saber que todas as coisas cooperam para aqueles que amam à Deus. Amar à Deus, levar a Sua palavra para fora do campo da igreja, servi-Lo com tudo que você pode fazer e com os sonhos e dons que Ele mesmo te deu. Sempre será sobre o propósito d’Ele para todos nós!

 

Mulheres empreendedoras com propósito

Mais vistos

Fale com os editores:
E-mail: editora@batistarenscer.com


Editado e publicado no Brasil por:
Igreja Batista Renascer.
Telefone: (62) 3202- 4968

2020 - Desenvolvido pelo Depto. de Marketing da Igreja Batista Renascer.

Topo