A construção da intimidade com Deus

Na parábola do Filho pródigo registrada pelo evangelista Lucas em sua carta escrita para um amigo chamado Teófilo, encontramos uma das histórias mais incríveis da Bíblia, pois nela Jesus revela grandes verdades a respeito do que o Pai verdadeiramente procura. Uma delas é que o Pai não está procurando somente por filhos obedientes, mas sim por filhos que tenham intimidade com Ele. Aquele Pai tinha um filho “obediente” em casa? Sim, ele tinha, mas ainda assim, não era o suficiente.

A parábola do “Filho pródigo” conta a história de um Pai que tinha dois filhos cujo filho mais moço pediu adiantado sua parte na herança e partiu para uma terra distante. Chegando lá, gastou todos os seus bens com todo tipo de prazeres. Depois, por conta de uma fome que se instalou naquele lugar, ele  passa por uma situação de escassez ao ponto de pedir emprego de cuidador de porcos em uma  fazenda. Numa situação inusitada de quase comer das alfarrobas dos porcos, esse filho então lembra do pai e volta para casa, na tentativa de pelo menos  ser aceito como um simples funcionário. Antes mesmo de chegar na fazenda, para a sua surpresa, o pai já vinha correndo ao seu encontro quando o avistou ainda longe.

A Bíblia diz que aquele pai, possuído por uma íntima compaixão, correu ao seu encontro e o beijou. O filho, constrangido com aqueles beijos e abraços, chora arrependido confessando seus erros e antes mesmo de pedir o emprego conforme havia ensaiado dizer, o pai não o deixa nem falar. Na verdade, pede para que seus servos busquem o manto, o anel, dá a ele novas sandálias e o leva para dentro de casa fazendo uma festa com música e dança. Tudo isso para comemorar a volta do filho que, para ele, era como se um filho estivesse morto e agora reviveu. Logo, seu irmão mais velho, atraído por todo aquele som, ao chegar perto da casa, pergunta para um dos criados o que estaria acontecendo em sua casa.

Ao ter a resposta, o irmão mais velho fica indignado e seu pai, que rapidamente vem ao seu encontro depois de perceber tal indignação, tenta conciliá-lo com o seu irmão ao mostrar o porquê de toda aquela festa. Aquele filho era obediente e nunca transgrediu o mandamento. Ele andava na linha e o servia há anos.

Com essa história, quero te perguntar: quanto tempo de fé você tem? Você sabia que o seu tempo como cristão não determina a sua intimidade com o Pai? O fato é que Ele está buscando mais do que obediência, afinal,  se você parar para pensar, os escravos também obedecem. Era exatamente essa a situação daquele filho obediente. Ele obedecia  como escravo e não como filho. Uma característica principal de um religioso é a de se esforçar o tempo todo para conquistar o que já é dele. Veja a resposta do pai para o seu filho mais velho: “Filho, tu sempre estás comigo, e todas as minhas coisas são tuas”. (Lucas 15:31). Percebe a diferença de um filho para um escravo? Ambos podem ser até obedientes, mas o que os diferencia é que um deles de fato, por natureza, é filho daquele pai.

A intimidade precede a obediência e o amor precede a intimidade. A obediência de um íntimo é muito mais profunda e prazerosa para um pai do que a simples obediência de um funcionário.

Intimidade com Deus não se trata do que eu estou fazendo, mas o que estou me tornando.

Entenda: o que o Pai mais quer nos dar é a Sua natureza e o Seu nome. Quando o Apóstolo Paulo diz em sua carta aos Romanos que Deus derrama Seu amor em nossos corações pelo Espírito, ele está dizendo que o Espírito é Deus e que Ele é o amor derramado em nossos corações. Segundo as Escrituras Sagradas esse processo é chamado de intimidade. Passamos a ver Deus dando a si mesmo para cada um de nós. Recebemos a Sua própria natureza e o Seu amor, que lança fora todo medo.

Perdemos uma grande parte  da nossa natureza no Jardim. Como resultado do pecado, a natureza Divina que tínhamos se perdeu e fomos dominados por uma outra natureza que nos descaracteriza de Deus. Nos tornamos filhos da desobediência. A maior obra de Deus em nós é a de nos tornar novamente seres humanos conforme a Sua imagem e para isso, Ele quer nos fazer parecidos com Ele em essência e não somente na aparência.

Um filho só é filho porque tem a mesma natureza do Pai. Ele nasceu filho e o seu DNA prova isso.

Intimidade é uma questão de ter a mesma natureza. Quanto mais eu tiver de Deus em mim, mais parecido com Ele me torno. É desse princípio  que vem o verdadeiro conhecimento de Deus. Você pode fazer faculdade de teologia, estudar tudo sobre calvinismo e arminianismo e não conhecer nada de Deus, pois o Senhor só pode ser de fato conhecido  de dentro para fora.

Já parou para se perguntar o porquê de Deus, onipresente, procurou por Adão naquele Jardim? Deus não sabia onde ele estava quando perguntou por Adão? Claro que Deus sabia! Entretanto, a questão não era o lugar geográfico em si. Na verdade, Deus procurou pelo homem não no sentido de distância e sim no sentido de semelhança. O homem foi ofuscado pelo pecado e perdeu a sua essência,  isso é o que nos distancia de Deus.

A construção da intimidade na verdade é uma reconstrução. Trata-se de  Deus vindo ao nosso encontro. Seu filho morreu naquela cruz e construiu um novo alicerce para que pudéssemos voltar para o Senhor, não no sentido de espaço, pois o caminho de volta para Deus não se trata de uma direção na qual devo caminhar, mas de uma pessoa que preciso me tornar.

Ele é o modelo de filho que o Pai espera que sejamos. Jesus não agradou ao Pai simplesmente porque se permitia ser usado por Ele. Jesus o agradava porque o tempo todo era um com o Pai, havia intimidade. Para Deus não nos parecemos com Ele simplesmente pelas aparências externas e sim, pelas características  internas. Ao nos tornarmos parecidos novamente com Deus em essência, somos levados para um outro nível de conhecimento de quem Ele é, ou seja, para um outro nível de fé.

Portanto, precisamos nos permitir ser curados, o que  acontece apenas quando abrimos o nosso coração e deixamos Ele nos ver por dentro como de fato somos. Muitos vivem se escondendo de Deus atrás de uma máscara de religião, outros fogem de Deus e se escondem atrás de um ministério, de um cd gravado, ou ainda, a partir de um lugar de destaque na igreja.

Assim, se permita ser vencido por Deus, pois esse é justamente o começo. Ele não quer resolver seus problemas, mas quer resolver o seu coração. O seu desejo é a intimidade. Ele quer dar a si mesmo para que você desfrute da verdadeira vida n’Ele.

Gidel Lannes Junior

Gidel Lannes Junior

Pastor no Ministério Filhos do Seu Amor – Rio de Janeiro - RJ Contato: (21) 99902-0410 Instagram: @gidellannes Canal no Youtube: Pr. Gidel Lannes

Você também vai gostar de ver