Cookies não são biscoitos?

Muito provavelmente você já ouviu falar sobre cookies da internet, não é mesmo? Certamente alguém também já te disse que é bom apagá-los de tempos em tempos, certo? Mas, creio que há uma grande chance de você não saber o que exatamente eles são. Embora o nome literal se traduza em “biscoitos”, eles nada têm a ver com doces, massas ou bolos.

Se você quer saber exatamente o que são, te convido a continuar essa leitura.

Então vamos lá: o que são cookies? Os cookies são pequenos dados ou arquivos que as páginas web armazenam em seu computador de forma recorrente e estes têm como principal função lembrar as preferências dos usuários (dados de sessão em páginas web, número de pesquisas realizadas, idiomas preferidos, etc.). Porém, muitos acreditam que eles são potencialmente uma porta de entrada para malware (programa malicioso), embora não seja bem assim.

Sergio Luján da Universidade de Alicante, sobre este assunto menciona que:

“…um cookie são apenas dados que são armazenados no computador do usuário, mas como o armazenamento é feito por ordem do servidor web, sempre existiu o medo de que se pudesse fazer algo malicioso. No entanto, os cookies não são software, tampouco são fragmentos de código, são simplesmente dados. Assim, em princípio, os cookies não podem transmitir e executar vírus, nem instalar malware como Troianos ou programas de espionagem. No entanto, os cookies podem ser utilizados para rastrear a atividade de um usuário na web”.

Existe outro uso dos cookies bem interessante. Caso você esteja escrevendo conteúdos offline no Google Docs, elas irão guardar as informações que você escreveu, selecionou e pesquisou até que você se conecte novamente à rede de internet.

Que outras utilidades têm os cookies? As funções que os cookies também podem cumprir e que estão a serviços de profissionais de marketing, vendas e comunicação são:

Diferenciar possíveis compradores: a função principal dos cookies é a de distinguir os usuários para lhes oferecer conteúdos adaptados, o que torna possível mostrar-lhes publicidade dos produtos que tenham pesquisado recentemente.

Compilar informação estatística: além disso, também recolhem informação genérica sobre o usuário, para que se obtenha dados estatísticos sobre o tipo de usuários que visitam uma página web específica. Tais dados podem ser úteis para elaborar um perfil de Buyer Persona (o perfil do cliente ideal) mais detalhado.

Criar campanhas de remarketing ou retargeting: uma das funções mais conhecidas atribuídas aos cookies é, provavelmente, a de utilizar as informações coletadas dos usuários para posteriormente, a empresa lhes oferecer produtos para serem comprados.

Conhecer o comportamento do usuário: É possível criar estratégias que aumentem a conversão de vendas, além de descobrir o que faz com que um usuário visite mais vezes um site a partir da análise do comportamento do usuário na web.

Pronto, agora você sabe o que são cookies da internet.

Podemos concluir que, por mais que os cookies possam ser considerados como algo ruim no momento de navegar, na verdade não é bem assim. Pelo contrário, eles podem nos beneficiar quando recebemos informações baseadas em nossos interesses, para assim podermos manter-nos atualizados daquilo que consideramos relevante.

Portanto, o aumento da utilização da internet para realizar uma série de atividades relevantes, por exemplo, procedimentos bancários ou armazenamento de dados pessoais, levou a uma séria e válida preocupação com a privacidade, mas isso é assunto para outro artigo.

Julio Eliseo Torres

Presbítero da Igreja Batista Renascer, Analista e Estrategista de Negócios no Sistema FIEG (SESI/SENAI), Consultor Empresarial e Marketing Digital

Você também vai gostar de ver