O caminho para um coração quebrantado

Quando as Escrituras mencionam o coração do homem, elas se referem ao seu espírito humano ou seu homem interior, o homem de fato. A palavra “quebrantado”, por definição, significa: sem forças; debilitado; fraco. Juntando-se os dois termos, entendemos que o caminho para um coração quebrantado seja a mansidão de espírito, uma atitude de dependência de Deus, a qual não se opõe à Sua vontade.

No plano original de Deus, o homem criado à Sua imagem e conforme a Sua semelhança teria domínio, governo, autoridade e poder sobre a Criação (Gênesis 1:26). Porém, a ideia Divina era que o homem governasse conectado à Fonte. Deus vinha ter com o homem na viração do dia, e a humildade do ser humano original estava em exercer a sua autoridade, ao mesmo tempo em que estava submisso à Palavra. O mandamento de Deus para o primeiro homem era de governar e sujeitar a Terra, crescer e multiplicar. A maior expressão de um coração quebrantado estava em obedecer às direções Divinas, fazendo com que o homem prosperasse nesse lugar.

Porém, em seu primeiro “grito de independência” de Deus, Adão desobedece ao Criador, come do fruto do conhecimento do bem e do mal e introduz o pecado na humanidade, aniquilando a justiça. A Terra tornou-se maldita por conta do falso sentimento de autossuficiência do homem, a consequência de um espírito altivo. O verso de Salmos 34:18 afirma que: “O Senhor está perto dos que têm o coração quebrantado”. E se Ele está perto daqueles que possuem o coração quebrantado, então, é provável que também Ele também esteja longe dos que possuem um espírito altivo. Como podemos ver no exemplo do próprio Adão, que foi retirado do Jardim após corromper-se.

A natureza humana tem anseio por controle, desde sempre. A altivez de espírito e a autossuficiência são características de uma natureza humana caída, e podem tornar-se presentes no homem que negligencia sua vida com Deus, manifestando-se em elementos como distância e falta de afeição pela família, excesso de trabalho, etc. Buscamos ter o ajuste fino do ambiente, das condições e das pessoas. Depositamos expectativas irreais sobre aqueles que estão à nossa volta, e desse lugar origina-se a  nossa frustração. Deixamos que a ofensa tome lugar em nosso coração, uma vez que a atitude do próximo ou as circunstâncias não foram ao encontro daquilo que esperávamos.

Por que a Bíblia, por inúmeras vezes, faz referência a um coração quebrantado, uma atitude de espírito manso e humilde, um coração de carne? Porque é este coração que agrada a Deus. O Senhor tem anseio em cuidar de nós, Ele deseja ser o nosso Abba Pai e anela para que a nossa dependência esteja totalmente n’Ele.

Já imaginou como seria ter o cuidado de alguém que nunca vai te frustrar? Deus é capaz de ir infinitamente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o Seu poder que opera em nós, conforme Efésios 3:20. Nele não há frustração nem ofensa. Nele só existe amor, provisão e a suficiência. Se a dor, o medo, a ofensa e a frustração tomaram conta da sua vida, é momento de deixar  o controle e depositá-lo nas mãos de Deus.

A Sua graça nos basta, e dela advém tudo aquilo que precisamos. Não há momento mais propício para Deus agir do que os momentos de dificuldade! Ele afirma que o Seu poder se aperfeiçoa em nossas fraquezas (2 Coríntios 12:9).

Portanto, se você está passando por provações, alegre-se, pois Ele está perto de fazer algo extraordinário em sua vida!

Willian Gomes Pinheiro

Formado no Centro de Treinamento Bíblico Rhema e Escola de Ministros Rhema. Gestor da Livraria Evangélica VerboShop de Campo Grande e atuante na área de Marketing.

Você também vai gostar de ver