Qual a linguagem de amor dos homens?

Hoje, construir de forma clara a comunicação entre pessoas tem sido um desafio surpreendente. Digo isso pois a comunicação se dá por alguns aspectos que envolvem não somente a fala, mas também a expressão corporal e outros elementos.

Logo, estamos mergulhados numa sociedade oscilante quanto às suas tendências e formas de expressão, seja no tocante às relações superficiais e até mesmo nas mais íntimas. Por falar em intimidade, relações mais próximas – casamento, namoro, noivado –  serão o centro desta matéria e quero afirmar a necessidade de conhecer o que queremos revelar e o como queremos ser compreendidos.

Tal assunto está contextualizado na identidade de cada pessoa, isso mesmo, o indivíduo carrega consigo conceitos formados ou obtidos, ensinados ou formulados e quando se relaciona com outra pessoa traz essas bagagens para a sua comunicação.

Com isso, estaríamos perto de uma catástrofe, certo? A resposta seria sim, se não fosse possível compreender um ao outro. Quando nos abstemos, ou seja, quando de fato não nos envolvemos no relacionamento, caminhamos para o completo fracasso. O que precisamos entender é que as diferenças não são loucas, ou muito menos inatingíveis, mas um complemento para o relacionamento duradouro, afinal é exatamente isso que todo casal deseja.

Neste caminho, o escritor Gary Chapman, em seu livro: “As Cinco Linguagens do Amor”, desenvolveu o que acredita ser as pérolas para esta questão. É certo que trilhamos um pouco em cada linguagem, mas há uma que se destaca em nós.

Gary Chapman as categorizou da seguinte forma: palavras de afirmação (são sentenças expressas em elogios e reconhecimento), tempo de qualidade (dedicação de um tempo exclusivo juntos), presentes (simbologia do presente), atos de serviço (quando as ações contam mais do que palavras) e toque físico (contato corporal).

Tentar universalizar a predominância da linguagem do homem é uma tarefa complexa, contudo quero aqui sinalizar a linguagem de amor que pode predominar na maioria dos homens.

Em sua grande maioria, os homens caminham para a linguagem do toque físico – beijos, abraços, cutucões com o cotovelo, mão nos ombros, as relações sexuais, os toques suaves pelo corpo, mãos dadas, entre outros gestos. Mais do que saber que o amor existe, algumas pessoas têm a necessidade de sentir fisicamente esse amor. Por isso, fazem questão de receberem carinho, por meio do toque, para que assim se sintam também mais seguras. Em suma, estabelecer a comunicação masculina envolve o contato físico.

No entanto, você deve conhecer e identificar a sua linguagem de amor e também a do seu cônjuge, o que permitirá desenvolver um relacionamento saudável e duradouro. Por isso te convido a ler o livro “As cinco linguagens do amor” e a conversar com sua esposa sobre esse assunto. Tenho certeza que, dessa forma, você entenderá melhor as necessidades de quem divide a vida com você e conseguirá fazer o outro mais feliz, já que nos relacionamos com esse objetivo!

Waldirédson Torres Borges

Cirurgião Buco Maxilo Facial e Presbítero. Contatos: [email protected] (62) 99913-4639

Você também vai gostar de ver