Síndrome da Mulher Maravilha

Pressa, agitação e o atropelo na realização de tarefas causam a ilusão de mulheres “multitarefas” que pagam um alto preço pela constante necessidade da “perfeição” cobrada pela sociedade.

Atualmente, a maioria das mulheres se sentem sobrecarregadas e se definem como “multitarefa” justamente porque precisam desempenhar diversas tarefas ao mesmo tempo, tanto em casa como no trabalho. Junto com as obrigações, surge o que tornou-se conhecido como a “Síndrome da Mulher Maravilha”, uma condição que é usada para definir essa mulher. Como podemos observar a sua manifestação? Por meio de casos nos quais a mulher além de sentir-se refém das pressões sociais, percorre um caminho de constante busca pela perfeição,   utilizando-se de supostos “superpoderes”.

É comum que seja confundida com outras doenças, mas a “síndrome” é o conjunto de sintomas que podem ser observados em várias condições  sem causa específica. Dessa forma, a “Mulher Maravilha” não é uma doença em si, mas pode desencadear problemas como estresse, ansiedade e transtorno de personalidade.

De acordo com a literatura especializada, é caracterizada pela pressa, agitação e o atropelo na realização de tarefas que constituem o estilo de vida para a maioria das mulheres, tornando-as multitarefa.

As mulheres mais jovens que sonham com uma carreira profissional bem-sucedida, mas não podem abrir mão das demais atividades são as mais afetadas. É também muito comum em mulheres empreendedoras, que vivem sob estresse acentuado, robotizadas, reféns de si mesmas e das pressões externas, o que acaba por inviabilizar  a expansão do seu autoconhecimento, autocuidado e bem-estar.

As pesquisas apontam que apenas 2% da população apresenta  capacidade de realizar múltiplas tarefas simultaneamente. Os 98% restantes demonstram perda de qualidade, celeridade (qualidade de quem é rápido, veloz e ágil) e foco na atividade principal, o que leva ao adoecimento. Por isso, fique atenta aos sintomas.

Mas, como todo super-herói tem um super-vilão, na Síndrome da Mulher Maravilha, a vilã mortal dessa mulher é justamente a culpa. Lidar com a sensação de estar culpada, é justamente a sua luta diária. Por isso, aprenda a lidar com seus limites, a gerir o tempo de forma eficaz e ampliar o autodiscernimento para fazer escolhas melhores e mais conscientes. Assim você conseguirá vencer a Síndrome!

Você não precisa deixar de ser uma Mulher Maravilha, só precisa ter discernimento de quais são suas reais batalhas!

Michelle Branquinho

Psicóloga CRP 09/7474 – Especialista em Famílias, Casais, Gestantes e Sexualidade. Formação em Psicologia do Dinheiro, Hipnose Clínica e EMDR. Diretora e RT da Clínica Espaço Absolut Psicologia e Saúde. Instagram: @psimichellebranquinho Youtube: Psi Michelle Branquinho

Você também vai gostar de ver