Do que fomos redimidos?

Nosso Deus é um Deus relacional. Ao lermos de Gênesis à Apocalipse veremos que Ele sempre desejou relacionar-se conosco ao longo dos séculos, o que se deu através de pactos ou concertos. Este termo “concerto” e não “conserto”, além de lembrar a harmonia musical, também pode se referir a um acordo entre partes. Nesta abordagem, trataremos do maior concerto que a humanidade já presenciou: a passagem de Jesus Cristo nessa terra.

Antes, porém, vamos velejar por alguns pactos que Deus fez conosco, já que Ele é um Deus relacional. Primeiro foi o Adâmico, estabelecido com Adão e Eva por ocasião da criação. Ali o Criador já nos posicionou como protagonistas de sua história ao criar o homem à sua imagem e semelhança, colocando-o no domínio de tudo que Ele havia criado (Gênesis 1: 26-31).

Em outra aliança, a Noética, Deus disse: “Vou estabelecer minha aliança com vocês e com seus futuros descendentes. (Gênesis 9:9). Posteriormente, tivemos o concerto Abraâmico. Neste pacto, Deus prometeu a Abraão que ele seria pai de muitas nações e sua descendência seria numerosa como o número de estrelas no céu (veja Gênesis 15:5 e Gênesis 17:4).

Também vemos a aliança estabelecida com o rei Davi (2 Samuel 7:16), quando Deus fez uma promessa a ele, dizendo que sua dinastia e o seu reino permaneceriam para sempre diante d’Ele.

Todos estes concertos foram estabelecidos no Velho Testamento, no entanto, somente no Novo Testamento houve a redenção definitiva e eterna, que se deu com a obra promovida por Jesus Cristo na Cruz do calvário, onde Ele tomou para Si os pecados de toda humanidade ao morrer no nosso lugar.

No gólgota, Ele nos resgatou do domínio das trevas, redimindo a maldição da Lei ao se tornar maldição em nosso lugar. Em Romanos 3:23-24, Paulo preleciona: “Pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus.”

O profeta Ezequiel nos ensina que a redenção foi um ato negocial de Deus, em que Ele nos comprou, nos resgatando da prisão do pecado, cujo fim era a morte (Ezequiel 18:10). O apóstolo João em seu evangelho, afirma que o Senhor nos deu a carta de alforria, nos libertando totalmente do pecado (João 8:36).

“Pela graça somos salvos, por meio da fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus” (Efésios 2:8). A redenção é obra Divina realizada por Jesus Cristo e somente por Ele! (Efésios 1:7; Gálatas 3:13; Gálatas 4:5). Ele é o único e verdadeiro caminho que nos leva à paz que excede todo o entendimento (João 14:6 e Filipenses 4:7).

Portanto, não perca tempo correndo atrás do vento, tenha uma visão espiritual acertada, aceite Jesus Cristo como Senhor e Salvador, colocando toda a sua esperança n’Ele.

Dr. Edilson de Brito

Oficial da Polícia Militar do Estado de Goiás, PhD em Direito Penal, Delegado de Polícia de classe especial, escritor, Presbítero na Igreja Batista Renascer, professor na Escola Bíblica Dominical.

Você também vai gostar de ver

guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Lilia
Lilia
9 meses atrás

Parabéns Pr Edilson. Uma catequese muito bem resumida. Deus é tão misericordioso q enviou seu filho para ser o cordeiro imolado por nós. Nosso salvador. Em Adão caimos no pecado por herança. Com Jesus somos salvos por seu precioso sangue. Basta ter fé, crer e cumprir Sua palavra (seus mandamentos)

1
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x