O intestino como “segundo cérebro”

Será que a afirmação do título é verdadeira? Se depender dos últimos estudos desenvolvidos pela Neurociência sobre esse assunto nos últimos anos, posso afirmar que SIM! A explicação é  exatamente o  que vamos conhecer  a seguir.

O intestino possui cerca de oito metros de extensão e, até pouco tempo atrás, estudos apontavam que as suas funções eram basicamente absorver alimentos, produzir enzimas (substâncias que ajudam na absorção dos nutrientes) e excretar fezes. No entanto, essa mentalidade mudou nos últimos anos!

Hoje em dia, por meio  de vários estudos comprovados, observou-se que o intestino é muito mais do que isso. A Neurociência evidencia uma conexão entre cérebro e intestino, por meio de substâncias que chamamos de neurotransmissores, como a serotonina (hormônio da felicidade), dopamina (hormônio do prazer) e melatonina (hormônio do sono), todas produzidas pelo intestino.

Além disso, o intestino possui o Sistema Nervoso  Entérico, formado por células nervosas localizadas na parede intestinal. Esse sistema possui autonomia e independe de comandos do cérebro, ou seja, através do seu sistema nervoso próprio o intestino regula suas funções sem depender do cérebro.

Outra descoberta significativa foi a importância da Microbiota na saúde intestinal e na saúde emocional. Para entendermos, Microbiota é um microrganismo vivo formado principalmente por bactérias, fungos e protozoários. O equilíbrio na Microbiota estabelece um intestino saudável, que é  responsável por 70 a 80% na produção de células imunológicas.

A importância desse órgão é indiscutível, certo? Concluo este artigo retomando a afirmação inicial contida no título deste texto: o intestino é visto como um segundo cérebro, também conhecido como cérebro visceral. Intestino e cérebro estão tão ligados que assim como as nossas emoções influenciam a nossa saúde intestinal, problemas no intestino também são capazes de gerar alterações no humor.

Portanto, esteja atento a sua saúde intestinal que precisa envolver  uma dieta diversificada e equilibrada, além de atividade física regular e claro, uma noite de sono bem dormida. Assim, essa rotina leva ao equilíbrio na Microbiota e, consequentemente, a um intestino saudável, ligado com a produção de substâncias que vão interagir diretamente com o nosso cérebro. Dessa forma, todo o seu organismo é beneficiado!

Dr. Marcos Tavares de Oliveira Junior

Médico Coloproctologista @drmarcostavares. Contato: (62) 98492-0015

Você também vai gostar de ver